segunda-feira, 23 de Julho de 2007

José Cid - A Pouco e Pouco

Olá crianças, têm passado bem? Espero que sim, porque a vida é para curtir. Por isso trago-vos uma linda musica romântica para apreciarem.

O que diriam vocês a esta bela declaração: "Não sei viver sem ti amor, não sei o que fazer". Será que pediam a essa pessoa para vos fazer favas com chouriço? Sem dúvida é algo muito romântico, principalmente umas horas depois da refeição, os dois juntos no jacuzzi e bolhinhas cheirosas a ascenderem à superfície.

Se ficaram curiosos, aqui fica o belo do videoclip do José Cid, com o seu hit "A Pouco e Pouco", numa altura em que havia autocarros de dois andares em Lisboa e o Zé ainda não usava óculos de sol 24/7.








quarta-feira, 18 de Julho de 2007

O ABC do Sexo em Portugal

Sabes o que é um felácio? Será uma bebida feita com cerveja? E o cunilingus? Será um bicho? A TVI foi tentar descobrir o que os portugueses sabem sobre estes temas e posso-vos assegurar que o nosso povo está cada vez mais culto...ou então não...






250 cartões de visita FREEDESIGN*



sexta-feira, 13 de Julho de 2007

A Verdadeira História de Stevie Ray Vaughan

Quem não se lembra da lenda do blues, Stevie Ray Vaughan? Muita gente! Stevie Ray Vaughan, Texano de origem, foi um virtuoso guitarrista de blues. A revista Rolling Stone em 2003, colocou Stevie na 7ª posição dos 100 melhores guitarristas de sempre, e aqui podem ver uma boa razão para tal:


Stevie Ray Vaughan - May I Have a Talk With You



Segundo a imprensa SRV morreu aos 36 anos, em Agosto de 1990, vítima de um desaste de helicóptero, no entanto eu fui investigar e descobri que afinal SRV estava era farto da guitarra e desejava mais acção na sua vida.

Stevie decidiu assim trocar a guitarra pela caçadeira e os pontapés rotativos, trocou de identidade, esteve quase 3 anos no anonimato mas ao contrário do que todos pensávamos, ele voltou em Abril de 1993 com a estreia de Walker, o Ranger do Texas. Aqui estão as provas:


Mais palavras para quê...



250 cartões de visita FREEDESIGN*


terça-feira, 10 de Julho de 2007

Bacoradas da Bola

Olá crianças, criancinhas e criancetas. Hoje para se divertirem trago-vos dois videos de asneiradas do futebol. Claro que o futebol em sí já é uma asneirada, mas há certos episódios dignos de filmes de comédia.









sábado, 7 de Julho de 2007

António Costa no Second Life

Pois é, não é que hoje fui ver a notícias e descobri que o candidato do PS à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, o xôtor António Costa, abriu uma sede de candidatura no mundo virtual do Second Life?!

Não lhe chegava estar à frente nas sondagens do mundo real, como pelos vistos também quer dominar o mundo virtual.

Eu estive na apresentação e não podia deixar de colocar aqui o look com que António Costa aparece no Second Life.


Com um ar bem mais modernaço e rockeiro, de manga à cava, tatuagens másculas, rodeado da sua banda de pseudo-vereadores , é assim que o candidato vai tentar dar música ao povo da capital.

Visto ser o único político português no Second Life, mesmo que não ganhe as eleições na capítal, já tem garantida a vitória no mundo virtual.


quinta-feira, 5 de Julho de 2007

Loreena McKennitt

Como este blog não é so patetice, palermice e palhaçada, hoje resolvi apresentar a quem não conhece uma grande artista: Loreena McKennitt.

Ora a xôdona Loreena é uma cantora e compositora canadiana filha com descendência irlandesa e escocesa que produz umas músicas muito interessantes de um estilo "meio celta" (sim, fui eu que inventei). De um modo geral engloba-se em algo new age e world music. Para além de cantar, a ti-Loreena também toca piano, harpa e acordeão.

Eu considero as suas músicas uma viagem espacio-temporal para outro mundo ou outra época fantástica, longe do stress e das cidades actuais, onde podemos sonhar livremente. Isto já está a ficar poético demais, por isso fiquem aqui com 3 clips e tirem as vossas conclusões.


Loreena McKennitt - The Mummers' Dance


Loreena McKennitt- Beneath a Phrygian Sky


Loreena Mckennitt - The Bonny Swans



Então, gostaram? Para quem quiser aqui fica o site dela, onde podem entre outras coisas ver as letras das músicas e a discografia: www.quinlanroad.com .



MAC PO 468 60

terça-feira, 3 de Julho de 2007

Rosa à Benfica

Senhoras e senhores, meninas e meninos, essa grande instituição que é o Benfica apresentou recentemente os seus novos equipamentos de altíssima costura para a presente temporada.

As novidades centram-se no novo equipamento suplente e de guarda-redes. O primeiro tem por característica uma camisola e saia rosa, e a bela da pantufa também em tom rosa com vista a uma deslocação menos dolorosa para os pés. Os jogadores passarão também a usar chapéu durante as partidas. Já o guarda-redes usará um vestido para mais mobilidade e frescura, também este em tons de rosa. Eu estive lá, e não podia deixar de publicar a foto mais que oficial dessa maravilhosa apresentação:


Correm rumores de que a escolha do equipamento teve influência de Joe Berardo, de modo a que o valor das acções do clube da Luz caiam a pique.

Nós esperamos para ver se os adversários se sentirão intimidados ou irão adoptar estratégias semelhantes.


Interrail (the end)

Pronto, o fim está próximo, mas podia não estar se nós não fossemos duas bestas. E porquê perguntam vocês? Porque fomos para Amesterdão e não escrevemos mais no diário!

Como devem imaginar, os 5 dias passados em Amesterdão foram uma loucura, partilhámos um quarto com um americano do Texas que pensava que Portugal era nas Caraíbas, uma sueca cheia de rastas com ar de bloco de esquerda, uma australiana maluca com um sotaque e pêras, uma americana com ar de paris hilton wannabe e uma estudante de arquitectura sul-coreana.

Logo no primeiro dia descobrimos que Amesterdão é outro mundo, fomos perseguidos por um gajo a querer-nos vender cocaína e escstasy, mas umas horas depois descobrimos que qualquer gajo parado na rua é sinónimo de dealer. Consegui armar barraca num restaurante português, ao ver os preços médios de 15€ por refeição disse que era uma xulisse e sorte a minha o empregado era um tipo todo pintas com penteado cheio de gel puxadinho atrás a dizer que isto não era Portugal, mas sim a Holanda.

Uma coisa é certa, o destino nocturno era sempre o mesmo, Red Light District. Uma voltinha às casas de luz vermelha para ver algumas beldades, como a colegial, a gaja do FBI ou a nurse, e depois iamos para o bar Excalibur, um bar de metal à antiga, Metallica, Judas Priest, etc...cujos donos são os Hell's Angels - para quem não conhece um famoso (nem sempre pelas melhores razões) grupo motard.

Coisa que não falta em Amesterdão é gayzadas, não há rua sem hotel/bar/restaurante/loja ou o que for gay. Um dos dias ouvimos uns sons vindos duma rua, fomos investigar e quando demos por nós estavamos numa parada gay, que sorte hein!! Apelidámos essa rua de "street with no name". No dia em que saímos, eram umas 5 ou 6 da manhã e era vê-los ainda aos molhos todos bêbados, abraçados e sabe-se lá mais o quê pelas ruas fora.

No caminho de volta, de referir que a estação de comboios em Paris era só monhés e militares de metralhadora em punho. O comboio até Espanha avariou 4 vezes, mas conseguimos apanhar de Espanha a Portugal, durante umas 10-12h o 2º pior comboio à face do planeta (os da India têm um aspecto pior). Imaginem um bando de imigrantes tugas, que conseguem acabar com a cerveja toda antes do comboio arrancar, todos bêbados, com o belo do sotaque e do bigode a tentar apalpar gajas e a meterm-se com toda a gente. A temperatura média do comboio deveria rondar os 40 ºC nas cabines e os 30 ºC nos corredores. Era tão mau que chegámos adormecer no chão dum corredor encostados a porta da casa de banho. Lá dormimos umas 3 ou 4h na cabine quando ficou mais fresco e de manhã tive a honra de recomendar umas pataniscas de bacalhau a um grupo de italianos que vinham no interrail para Lisboa e queriam saber pratos típicos portugueses.

Esta viagem parodiante chegou ao fim, e diga-se que já conseguiamos correr e saltar com as mochilas às costas depois de tantas horas de treino. É uma experiência inesquecível que recomendamos a qualquer pessoa que não esteja boa da cabeça.

Para mais informações e tal: www.cp.pt



domingo, 1 de Julho de 2007

Interrail (penúltima parte)

Está quase no fim este diário, mas vamos lá ao 12º dia antes que se faça tarde:

  • Fomos ao zoo e vimos muitas espécies. À noite lá estávamos nos com as nossas Heineken large a tentar jogar snooker quando aparecem novos espécimes com os pequenos hooligans. Os pequenos hooligans são criaturas de cabelo louro ou ruivo, sardas e tshirts de clubes britânicos, têm cara de estúpidos e são fascinados por qualquer tipo de desportos com bola que observam atentamente.
  • Eram 10 e tal e vemos uma personagem que pensavamos estar a fazer caretas devido ao transporte exaustivo de 2 malas de viagem, mas na realidade tinha aquela cara por defeito de fabrico. O pior foi quando descobrimos que era o nosso colega de quarto. Quando ele entrou fingimos estar a dormir e daí evitámos bastantes problemas.


sábado, 30 de Junho de 2007

Interrail (perdi a conta às partes)

Vamos continuar a nossa aventura, 11º dia de interrail, no Luxemburgo:

  • Saímos às 7h30 do hostel para os primeiros 2.5 km do dia com 15 kg às costas. À entrada da estação de comboios tinhamos um tipo com look do Rob Halford a seguir-nos (para mais informações ver fotografias de grupo dos Judas Priest).
  • Enganámo-nos no comboio na paragem em Bruxelas e fomos parar a um fim de mundo qualquer, onde por sorte apanhámos o comboio correcto logo em 10 min. Fizemos um pouco da viagem com umas espanholas e numa paragem entraram outras espanholas que ao ser entaladas pela porta gritaram:
    "De puta madre! Coño!"
    Gargalhada geral pois haviam dois grupos de pessoas que percebiam o que elas estavam a dizer (em plena Bélgica).
  • Chegámos a Arnhem e apercebemo-nos que o hostel estava a vários (muitos) km da estação. Estávamos quase a chegar quando apareceu um bacano que trabalhava na pousada e nos deu boleia.
  • Depois de nos acomodarmos e tomarmos banho e afins, tivemos a ideia peregrina de ir jogar xadre para a esplanada da pousada, como quem não quer a coisa. Ora descobrimos que o xadrez é tipo o desporto nacional da Holanda. Em menos de 10 min tinhamos nada mais, nada menos que 7 pessoas à nossa volta a cagar sentenças, maioritariamente em holandês.
  • Bebemos 2 copinhos (± 1 litro) e foi o suficiente para percebermos o grande nível da cerveja Heineken na sua terra natal. A lavandaria é completamente caótica, com milhentos butões e as instruções todas trocadas.
  • De referir que tinhamos no quarto 2 tropas holandeses e descobrimos que um roncava de tal maneira que parecia o space shuttle a descolar (o 747 referido anteriormente era carne para canhão ao lado deste). Há concertos de metal com a música com o volume mais baixo. Mas era uma coisa extraordinária, roncava e depois parava, falava a dormir, mandava um ronco de ignição do motor e lá descolava outra vez a nave. Indescritível, só mesmo estando lá e não dormindo.